domingo, 12 de fevereiro de 2012

Anna Pavlova

Por trás de cada pessoa há uma historia para se contar, há uma ação e consequência....

Todos nós conhecemos a dramática e romântica historia do ballet O lago dos cisnes, até aqueles que não têm um conhecimento sobre ballet já ouviu fala, mas você sabe a verdadeira historia por trás dele, como per exemplo você sabia que a primeira versão deste ballet foi um fracasso total, não pela musica que sabemos que é belíssima, mas sim pela má interpretação tanto da orquestra quanto do corpo de ballet, pois a primeira bailarina a fazer o papel da Odete foi a Anna Sobeshchanskaya, que a cada hora resolvia mudar certa coisa na coreografia (isso em 1887 no teatro Bolshoi), pode dizer que o O lago dos cisnes nasceu com a creografia de Marius Petipa (Atos 1 e 3) e Lev Ivanov (Atos 2 e 4), e a regencia da orquestra por Riccardo Drigo, e dançado pela bailarina Anna Pavlova, foi um sucesso eminente, todos amaram Anna dançando, e sobre ela que venho falar.

Hoje em seu aniversario (segundo o calendario gregoriano) de 131 anos, venho falar desta bailarina que foi e sempre sera uma lenda no ballet, mas se você nunca ouviu falar nela, não faz ideia do que esta perdendo, Anna Pavlova para mim foi um exemplo de pessoa, pois ela tinha tudo para desisitir mas continuo sempre seguindo em frente, Anna nasceu em São Petersburgo, em 31 de janeiro (segundo o calendário juliano) ou a 12 de fevereiro (pelo calendário gregoriano) de 1881. Nasceu em uma familia pobre de “mãe solteira” ( há contra vez sobre isso pois ela dizia que seu pai havia morrido e não falava muito sobre isso, já historiadores afirmam que ela era filha de um soldado judeu ).

De talento e carisma excepcionais, fascinou o mundo da dança no fim do século XIX e na primeira metade do século XX. Seu extraordinário talento e suas interpretações extremamente pessoais deram um novo sentido ao ballet clássico.

Aos oito anos, como presente de aniversário, sua mãe a leva para assistir ao espetáculo de balé:"A Bela Adormecida" no teatro Mariinsky. Emocionou-se tanto, que decidiu a partir daquele dia se dedicar à dança.

Tentou então ingressar na Escola Imperial de Ballet de São Petersburgo, mas foi rejeitada devido a sua pouca idade e baixa estatura. Em 1891, aos dez anos, conseguiu ingressar na academia. Desde cedo, revelou um grande talento para a dança clássica.

Em sua formação, teve aulas com os mais famosos professores da época: Pavel Gerdt, Christian Johansson, Ekaterina Vazem, Nikolai Legat.

Graduou-se em 1899 aos dezoito anos de idade. Em seguida, ingressou no corpo de ballet do "Ballet Imperial Russo" de São Petersburgo. Era o começo de sua carreira de sucesso. Seu palco nesta época era o teatro Mariinsky (kirov).

Carismática, caiu no gosto do Maestro Marius Ivanovich Petipa, galgando rapidamente posições de destaque entre as bailarinas: em 1902 era segunda solista; em 1905 "Première Danseuse" e finalmente em 1906 "Prima Ballerina".

Anna Pavlova relocionou o ballet classico da época, pois naquela época as bailarinas tinham que ter um corpo mais compacto e musculoso, e Anna era a nossa atual personificação de uma bailarina, magra, delicada e totalmente feminina, isso sem contar que foi ela a percusora da sapatilha de ponta como nós usamos hoje, pois ela não tinha pés fortes então ela pediu para um sapateiro colocar uma tira de couro na gaspia (ou palmilha) para poder ficar em cima da sapatilha, sendo que na época ela foi alvo de criticas sobre isso, as outra bailarinas não aceitavam isso de forma alguma. Mas mesmo assism começou a ganhar destaque nos ballets em que atuava e ganhava fãs entusiastas. Para a legião de fãs ela era a Pavlovtzi.

Ela sempre dizia que “ Deus dá o talento, mas é o trabalho que transforma o talento em gênio." e "Embora alguém possa falhar em encontrar a felicidade na vida teatral, ninguém desiste depois de já ter uma vez provado de seus frutos."

Seu físico delicado e gracioso era bem apropriado para os papéis românticos dos ballets, e isso foi percebido pelos coreógrafos. Seu primeiro sucesso e que passou a ser sua marca registrada, é o solo de "A Morte do Cisne", apresentada em 1905, no teatro Mariinsky, com música de Cammille Saint-Säens e coreografia de Mikhail Fokine . Também é sucesso em "Giselle" com música de Adolphe Adam e coreografia de Marius Petipa, apresentada em 1906 no mesmo teatro.

No dia 6 de janeiro de 1908, realiza o seu sonho de infância e dança no teatro Mariinsky, no papel de Princesa Aurora, o balé A Bela Adormecida pela primeira vez.

Na decada de 20 em suas vindas ao Brasil, ela apresentou-se nestes grandes teatros: Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Teatro Municipal de São Paulo e Theatro da Paz (Belém, Pará).

O seu repertório era clássico, convencional, mas gostava de incluir números de danças étnicas. Os seus excertos e adaptações dos ballets clássicos encantavam as platéias para quem se apresentava.

Anna Pavlova, por meio de suas turnês ao redor do mundo, e também por sua figura carismática e singular, tornou o ballet popular por onde passava, sendo responsável por inúmeras novas bailarinas; moças que após a verem dançar se decidiam a também fazê-lo.

Durante sua carreira, Anna Pavlova viajou cerca de quinhentas mil milhas, dançando em 3.650 espetáculos e participando de mais de dois mil ensaios. Não é para qualquer um em?!!!!

Em 1924, casa-se com Victor d'Andre, seu empresário.

No período de natal de 1930, Pavlova tira três semanas de descanso de uma turnê que realizava pela europa. Na volta ao trabalho, próximo de Haia na Holanda, o trem em que estava foi obrigado a parar devido a um acidente ocorrido próximo à linha. Curiosa, desceu para ver o que havia acontecido vestindo roupas muito leves para o tempo que fazia (um fino casaco sobre uma camisola de seda) e caminhando pela neve. Dias mais tarde,uma forte pneumonia batia-lhe a porta. Após breve sofrimento, morre de pleuris no dia 23 de janeiro de 1931, no auge da fama e próximo de completar cinqüenta anos. Segundo testemunhas, suas últimas palavras foram :" traga-me a roupa do cisnei [...] execute o último compasso bem suave".




bjs e até a proxima

Nenhum comentário:

Postar um comentário